Pitágoras e o Visagismo

1. Introdução

Pitágoras de Samos, mais conhecido como Pitágoras, foi um dos maiores filósofos e cientistas de toda a história, mas quem foi Pitágoras, quais foram suas obras mais importantes e em que seus estudos contribuem para o Visagismo?

Pitágoras nasceu na ilha de Samos por volta de 590 a.C. e faleceu em Metaponto em aproximadamente 497 a.C.

Filho de mercadores, possuia outros dois ou três irmãos. Pitágoras passou sua infância em Samos, apesar de ter viajado bastante com seu pai,  foi treinado pelos melhores professores que eram filósofos, e aprendeu aritmética, geometria, astronomia e poesia.

Por volta de 518 a.C., para evitar conflitos políticos, viaja para o sul da Itália, para a cidade de Crotona onde funda uma escola espiritual, lá, casa-se com Theanos de Creta, filha de Pythenax com quem tem uma filha, Myia, porém foi expulso de Crotona e passou a morar em Metaponto, onde faleceu.

2. Produção intelectual

Sua produção intelectual foi vasta, tendo conexão com o Visagismo nos seguintes trabalhos:

Para os pitagóricos, os números eram sinônimo de harmonia, com os números pares e ímpares representando as relações em permanente processo de mutação, sendo considerados a essência das coisas, criando noções opostas (limitado e ilimitado), sendo a base da Teoria das Esferas.

Para essa escola, existiam os quatro elementos; terra, fogo, água e ar, que no Visagismo, utiliza-se no estudo dos temperamentos, onde os mesmos são associados a esses elementos.

Com o domínio da geometria, os pitagóricos descobriram a relação entre os lados do triângulo retângulo e intitularam como Teorema de Pitágoras, e se une ao Visagismo pelo estudo dos lados do rosto (Composição Quimérica).

Como o universo é regido por relações matemáticas, ele poderia ser chamado de Cosmos, termo que contém as idéias de ordem e de beleza.

A Razão Áurea, hoje conhecida como Proporção Áurea, nos leva ao Egito Antigo, na construção da pirâmide de Quéops (aproximadamente entre 2551 e 2528 a.C.),  Pitágoras o ilustrou com o pentagrama (símbolo de sua escola), onde sua medida e harmonia se dá exatamente pela Proporção Áurea, mais tarde descrita em detalhes pelo arquiteto romano Marco Vitruvio Polião e eternizada por Leonado da Vinci em seu desenho ‘Homem Vitruviano’.

Como em todos os ramos da ciência, a Proporção Áurea é muito utilizada de diversas maneiras, e no Visagismo Acadêmico não é diferente, pois é utilizado diretamente no estudo e medição das proporções faciais e do corpo do indivíduo, no caso de produtos ou empresas, a Proporção Áurea é utilizada desde a concepção de embalagens até a logomarca das mesmas, pois nos três casos, esses estudos resultam no Dossiê Visagista.

Pitágoras , como outros filósofos pré-socráticos, também descreveu o poder do som e seus efeitos na psique humana; essa experiência musicoterápica provavelmente foi utilizada posteriormente por Aristóteles como base para sua definição de música que segundo seus estudos, era uma “arte medicinal”.

No Visagismo, o Consultor Visagista não trabalha apenas com o exterior, e sim com diversos outros aspectos do indivíduo, para que a Análise Visagista seja realizada com o máximo de dados possível, sendo assim, o resultado dessa investigação será mais preciso, e alguns aspectos emocionais como personalidade e temperamento por exemplo são investigados e esses dados analisados a fundo.

Além de todos esses estudos que contribuem tanto para o enriquecimento do Visagismo acadêmico quanto para diversos outros ramos da ciência, deve-se ainda à Pitágoras o surgimento da palavra matemática (mathematike, em grego), que a concebeu como um sistema de pensamento alicerçado em provas dedutivas.

Fundou também a Escola Pitagórica, a quem se concede a glória de ser a “primeira Universidade do mundo”. A influência dessa escola foi tão grande, que ensejou forte influência em Euclides, Arquimedes e Platão, na antiga era cristã e até nossos dias com o Neopitagorismo.

3. Conclusão

Portanto, como se pode concluir, é inegável a contribuição de Pitágoras para o Visagismo e para toda a humanidade, pois seus estudos são fundamentais em diversas áreas como matemática, filosofia, geometria entre diversas outras.