Pesquisa com alunos mostra o novo rumo do mercado de beleza

  1. Introdução

Estagnação no mercado de beleza, a retenção do consumo, professor e coordenador do curso de MBA em gestão de negócios de Visagismo, demonstra resultado de pesquisa feita em campo com seus alunos.

O resultado identificou que após realização de pesquisa com pessoas de regiões diferentes da cidade de São Paulo, foi perguntado que:

  1. Pesquisa

Com a crise, você parou de consumir os serviços de beleza nos salões?

92% das pessoas responderam que sim, pararam de consumir por conta da crise.

Outra pergunta que foi respondida com a mesma intenção de obter uma estatística nesse padrão, nessa linha de raciocínio, foi o fato de como você tem se virado com o recurso de beleza que você necessita para a sua valorização da sua auto estima? E as respostas foram:

Aprendi a fazer sozinha, eu faço na minha irmã e na minha mãe e elas fazem em mim ou eu faço na minha amiga, a minha amiga faz em mim, eu faço na minha vizinha e assim sucessivamente, ou seja, passou-se a ter o auto atendimento a partir de agora.

Isso 76% das pessoas entrevistadas deu esse tipo de resposta. Em seguida a pergunta se relacionava diretamente a:

Após superar essa crise, que está latente no mercado, geral, mas principalmente no mercado de beleza, quando você deixou de gastar dinheiro com os recursos de beleza, após estabilizar, o emprego, estabilizar os recursos e você voltar a trabalhar, você vai voltar a consumir como consumia anteriormente todos os serviços de embelezamento manicure, pedicure, escova, corte, coloração e alisamento e afins?

Resposta de 84% das pessoas entrevistadas: ‘não vou voltar a consumir’, e essa pergunta vinha acompanhada de um ‘por quê’?

E a maioria das respostas tabuladas davam em 64,37% que as pessoas não voltariam a consumir porque aprenderam a se produzir sozinhas e o auto atendimento cria uma certa satisfação quando elas brincam de fazer entre elas. O resultado não é tão bom quanto quando se faz no salão de beleza, entretanto, a economia é muito significativa.

  1. O mercado de beleza no pós-crise

A pesquisa deixa muito claro que o mercado de beleza de serviços na área de beleza, sofre um abalo sísmico, isso significa que aquela posição que nós tínhamos anteriormente antes dessa movimentação de mercado, não mais voltará a ser como era.

O mercado de beleza de consumo de serviços de beleza mudou, e mudou para não mais voltar a ser como era anteriormente. Isto é o resultado da pesquisa obtida através dos alunos que estudam MBA em Visagismo e gestão de negócios na área de Visagismo e estética.

O curso chama-se MBA em Visagismo estética e gestão da imagem pessoal.

  1. Resultado da pesquisa indica como o profissional deverá atuar

A pesquisa deixa evidenciado que o mercado não vai voltar a ser ou a consumir como era anteriormente. Como proceder a partir de agora?

É necessário se reinventar, é necessário tentar entender qual é o mercado e como essas clientes podem voltar a consumir serviços dos quais elas não são capazes de fazer o auto atendimento.

Assim, vamos trabalhar em divulgação de serviços onde elas necessitam da qualificação de um profissional e que esse profissional venha cada vez mais para o mercado com um conteúdo muito consistente, que ele tenha poder de eloqüência para dialogar com essa cliente dando para ela certeza daquilo que ele faz.

Que ele possua conhecimento profundo daquilo que ele propõe e não só entregando para ela uma valorização da auto estima, mas elevando a qualidade da imagem, proporcionando melhor confiança e consequentemente elevando a auto estima.

5.Passado e futuro do mercado de beleza e dos profissionais

Então nós percebemos que não adianta mais pensar em estar focado na cliente, mas verdadeiramente estar focado em qual é o foco da cliente.

Isso é o que o mercado busca, isso é a solução da nova era do mercado de beleza, no que diz respeito ao consumo de serviços.

Então quando nós falávamos antes dos ‘Institutos de Beleza’, lá atrás no século XX, deixamos de ter os Institutos de Beleza para termos na verdade os grandes salões, salões luxuosos de vários andares, com muitos profissionais fazendo serviços muito simples, mas com a mesma proposta de sempre.

A recessão, a retenção, a economia de recursos fez com que as pessoas aprendessem a lidar sozinhas com suas necessidades, e a partir de agora, as pessoas que trabalham com esse tipo de serviço devem aprender que não basta só entregar uma coisa simples, mas é necessário entregar mais que o combinado, entregar um serviço diferenciado, de qualidade.

Além disso, principalmente ter nas suas equipes profissionais altamente capacitados, graduados, pós-graduados, com MBA, com formação cada vez maior, porque isso sim vai separar o bom profissional do profissional que aprendeu por repetição.

O profissional que fez um curso, não um curso de formação, mas um workshop de informação.

Muitas pessoas confundem, fazem vários cursos, e alguns cursos, pocket cursos que dão a idéia de que você aprendeu, que na verdade você não aprendeu, na verdade você obteve informações que é necessário aprender e você se mune daquelas pequenas informações e tenta criar um conceito e vai para o mercado atuar.

  1. Conclusão

Hoje a consumidora não aceita profissionais alicerçados no que nós chamamos de ‘achismo’, hoje precisa ter conhecimento, hoje precisa ter formação, hoje precisa ter experiência.

Então viva o novo mundo, viva a nova consumidora e profissionais de beleza, vamos estudar, esse é o caminho!