Conceito do Visagismo – Programa Todo Seu

Vamos começar falando sobre um assunto muito interessante.

A sua aparência.

Nós sabemos que a beleza é um conceito pensado desde a antiguidade, antiguidade clássica, inclusive, mais do que isso, a beleza, seja ela qual for, esta atrelada a nossa imagem pessoal, a nossa personalidade e as nossas expressões.

Você sabe bonitinha, e você também bonitão, que existem profissionais da imagem que podem ajudar a valorizar a aparência de forma que isso ajude a melhorar as relações interpessoais, profissionais?

Por meio de medições, angulações e análises o seu visual pode mudar o jeito de mostrar quem você é.

E para falar nesse assunto nós convidamos o professor e visagista, Robson Trindade. Boa noite Robson, obrigada por ter vindo.

Boa noite Ronnie, obrigado você.

Tudo bem?

Muito obrigado você pelo convite. Te agradeço profundamente.

Imagina, o prazer é meu. Obrigado meu irmão.

Robson, você iniciou a sua carreira cedo, você tinha 16 anos de idade, tive que estudar sua vida para não falar bobagem, e ministrou um curso de graduação sobre visagismo.

Certo.

É muito simples: afinal, o que é Visagismo? Eu sei que está em alta isso hoje, mas queria que você explicasse o que é Visagismo?

Ronnie, Visagismo vem da palavra visage, quem em Francês significa rosto. Nós diríamos aí que o Visagismo existe antes de Cristo. Pitágoras já falava sobre a Teoria das Proporções.

Então, desde o princípio, o homem estuda a beleza versus proporções.

Se a gente falar agora da década de 20, 30, nós vamos falar com a história do cinema a caracterização dos personagens exigiu que profissionais como Max Factor, por exemplo, trabalhasse na adaptação da imagem caracterizada de cada personagem.

Então, isso tudo fez com que o Visagismo viesse a tona cada vez mais interessante.

E o Visagismo trabalha na imagem pessoal, na imagem profissional e na caracterização de personagens.

Então, em síntese, Visagismo é isso. Super em alta hoje. Agora, existem dois tipos de mudança que um visagista pode fazer.

O primeiro deles é o da harmonia e da caracterização. O que são e quais são as diferenças entre elas?

Ronnie, eu vou criar aqui um cruzamento. O Visagismo estuda a parte interna do indivíduo quem ele é na sua estrutura óssea.

Do outro lado, na parte externa, quem ele parece ser. E nas outras duas pontas o contrário, nós temos harmonia e caracterização.

A harmonia é conceito de beleza, onde você busca  ter uma imagem que todo mundo que se achar a você te elogie.

Não a sua maquiagem, o seu brinco, a sua roupa, o seu cabelo… mas você! Porque o indivíduo é da cabeça aos pés.

E a caracterização é fazer com que a pessoa pareça mais brava, porque ela já é brava, mas que isso fique acentuado, ou que uma pessoa mais jovem pareça com mais idade, uma pessoa que é mais mulher possa parecer um homem e vice e versa.

A caracterização propriamente dita. Então esse é o cruzamento do Visagismo.

Nós temos um vídeo, dá uma olhada.

Para você ver como é, eu devo ter agora uma infinidade de alunos que eu também sou professor da Belas Artes, dou curso de Pós-Graduação na área de Moda.

E esse filme eu passo durante as minhas aulas, para mostrar para as pessoas que a entonação de voz, o jeito de andar, os acessórios, a apresentação da pessoa faz toda diferença na sua vida profissional.

Tudo isso envolve Visagismo.

O visagismo trabalha em todas essas vertentes, para encontrar, primeiro aquilo que cabe na pessoa e depois aquilo que ela deseja.

Porque entre o desejo e o que serve, o que encaixa, o que tem aderência, existe um pequeno caminho que a gente tem que tomar cuidado.

Mas verdadeiramente Margaret Thatcher foi trabalhada para que isso acontecesse, de maneira adequada e ela conquistasse todo eleitorado.

Quando eu apresentei você eu falei que a beleza é cultuada desde a antiguidade clássica. Tudo bem.

Os nossos antepassados sempre pensaram nisso. Agora eu quero saber dos conceitos de beleza que influenciaram, eventualmente, o Visagismo.

Com certeza.

Bom, Ronnie, eu logo que me apresentei para você eu agradeci a oportunidade e eu fico muito lisonjeado, há muito tempo eu estou com vontade de vir aqui, eu acompanho o seu programa, e ficava namorando uma oportunidade.

Então hoje, quando você me faz essa pergunta, eu digo pra você: Ronnie, “Conceitos do Belo que Influenciam o Visagismo”.

É o segundo livro da minha autoria. Eu estudei todos os filósofos, mais ou menos 16 para que eu pudesse entender qual era a visão a respeito de beleza e a convergência entre essa beleza filosófica e o Visagismo.

A gente encontra Pitágoras falando sobre a Teoria das Proporções.

Encontramos Platão, Platão dizia que a beleza era aquilo que quando você olha, te contagia, te cativa, te faz bem.

Já Aristóteles dizia que a beleza era fruto de medições e proporções equivalentes, ou seja, simetria.

Então os filósofos vão por aí, cada um dando o seu conceito, mas quando a gente fala hoje do Visagismo, então o “Conceitos do Belo que Influenciam o Visagismo”, que é o título do livro, demonstra que, todo esse estudo, toda essa percepção, converge do que a gente faz hoje em trabalhar com as pessoas e trazer para elas aquilo que elas querem, quer seja na vida pessoal, seja na vida profissional, ou na televisão, cinema, na caracterização.

Essa história do estudo das formas e proporções do rosto, eu sei que pode ajudar muita gente, eventualmente, a harmonizar e valorizar a imagem pessoal, de forma que isso pode, como disse no início, beneficiar as relações profissionais.

Como é um trabalho de um Visagista?

Ronnie, o visagista começa trabalhando no rosto porque o rosto é a sede da identidade do indivíduo. Então o triângulo da vida está entre os olhos, o nariz e a boca.

Nós temos inclusive uma foto pra ilustrar essa sua conversa. Ah, olha que coisa mais linda.

Angelina Jolie.

Mais cheia de graça.

Bonita, né?

Por dentro também.

É verdade?

A Angelina Jolie? Sabe eu tinha as minhas restrições, eu tinha as minhas, sabe, aquela coisa discutível, rostinho bonito, brigou com o pai, aquelas coisas.

O que essa mulher trabalha pelo social você não faz ideia.

Que bacana!

Ela é bonita por fora também, está sempre buscando fazer alguma coisa pelo próximo.

É.

Que bacana.

Vamos voltar lá.

Então, nessa foto, dividiu.

Você viu que dividiu o rosto no meio uma linha vertical central. Dividiu lado direito e lado esquerdo do rosto.

E aí nós fazemos a divisão onde nasce o cabelo, traçamos uma reta agora na horizontal, essa é a parte racional.

A intersecção das sobrancelhas, outra linha, que vai traçar agora essa proporção entre a razão e agora a linha emocional que fecha na linha do nariz. Bom nós temos emoção, razão, emoção e a última parte intuitiva que fecha exatamente na próxima linha que é o queixo.

Assim a gente consegue perceber que existe no rosto da Angelina, ela é extremamente intuitiva e racional.

Então uma pessoa que intui as necessidades, organiza e realiza.

Ela não faz isso por emoção, ela faz isso porque ela sente, percebe a necessidade e faz de maneira organizada.

Então essa convergência dos atos que ela faz e das pessoas que se aproximam dela para colaborar com esse ato, é muito bem pensado por ela.

Então se você olhar lá, a partir do nariz, e essa é uma coisa interessante.

E aqueles vetores ali verdes?

É, interessante. As pessoas as vezes pensam na sobrancelha como “eu quero a minha assim, eu quero assado, eu quero redonda, curvada, tal”, a sobrancelha deriva do formato do rosto.

Então a linha de que sai do nariz, até o lacrimal interno, que é no começo do olho perto do nariz, depois a linha que faz do mesmo ponto do nariz até o lacrimal externo do olho faz o final da sobrancelha, e a intersecção entre o nariz, e a íris e a pupila traça o ponto de arqueamento.

Então dessa maneira a pessoa descobre qual a melhor sobrancelha para o seu rosto.

Quando nós falamos, Ronnie, que o cabelo é a moldura do rosto, nós temos que dizer que a sobrancelha é a moldura do olhar.

Quando a gente está longe, você vê a pessoa inteira.

Quando está perto é olho no olho, então a sobrancelha é muito importante.

Então esses traços todos, olha, o quadrante dos olhos, para saber qual o lado mais racional e qual o mais sensual, lógico que se ela for fotografar, ela quer usar o lado sensual, para ficar mais bonita, pra ficar mais atraente e passar muito mais beleza.

Depois o quadrante do nariz, o quadrante da boca, que mostra a boca dela é bonita e a marca registrada, mas poderia, por exemplo, ser um pouco mais alongada nas laterais, que ficaria ainda mais bonita, e proporcional ao rosto.

Então a gente tem várias informações.

Tamanho do olho, a distâncias entre os olhos, tudo isso, Ronnie, é pra mostrar que o Visagismo não é uma coisa que as pessoas acham, ele é um estudo de matemática e geometria puro, que consegue dizer quem é a pessoa atrás dessa imagem.

Meu Deus do céu.

É muito bacana, viu Ronnie.

Parece que tem mais uma outra foto aí. Ah, tio Ronnie.

Eu fiz aí, tomei a liberdade de fazer.

Então vamos lá.

Quando você olha a foto, a foto demonstra que você é estritamente racional, depois você intui, mas a racionalidade fala mais forte em você.

Então, quando a gente analisa a pessoa, nós vamos buscar qual o lado mais sensual do Ronnie, é o lado esquerdo desse foto, dessa foto, o lado esquerdo é a parte mais sensual sua. Então quando você vai usar o cabelo, você joga para quele lado direito, porque ele faz quase uma divisão no seu rosto direito, potencializando o lado esquerdo que é o lado de mais charme.

Que engraçado, eu nunca pensei nisso não.

A posição do olho que diz isso.

Então o repartir do cabelo que eu faço é super positivo para a sua imagem.

Eu não sabia.

Mas assim, muita gente faz isso intuitivo.

A pessoa, olha ela fala, poxa acho que ficou melhor para cá, melhor para lá.

Ela pode não conseguir explicar o porque, mas ela sente.

Quando você fala em emoção, por exemplo, eu sou um cara que chora à toa, me emociono com campanha publicitária, isso, quer dizer, emoção eu tenho, não é o ponto alto, porque as atitudes tomadas emocionalmente quase sempre são erradas.

Tem que haver um balanço.

Acontece o seguinte, o equilíbrio, das informações elas vão se unindo, imagine se a gente fizesse aqui uma vitamina.

Então tem aquilo que é mais predominante das frutas que vai dar o sabor final. Então nós pontuamos coisas individualmente, nós temos que juntar essas informações todas para que isso se materialize em informações que comuniquem quem é a pessoa.

Então quando nós trabalhamos a imagem, não posso deixar de dizer que a imagem vem da cabeça até os pés, e até muito tempo nós tratávamos da beleza, e a beleza vinha da cabeça até o pescoço, a moda cuidava do ombro para baixo.

E nos últimos anos, o meu envolvimento tanto no curso de Visagismo, como no curso de moda, fez com que nós entendêssemos que essa conexão de cabelo e corpo, ou seja, de beleza e moda, era extremamente fundamental.

Então vamos ilustrar isso, porque é o seguinte, nós temos fotos que essa coisa que, claro, você visagista, você pensa como um esteta né, sem dúvida nenhuma.

Olha é incrível.

E a beleza sempre esteve interligada, né, com essa história do Visagismo pelo que eu estou aprendendo agora.

O que que significa isso aí?

Muitas vezes a pessoa pode ser caracterizada ou pode ter uma imagem, e quando essa imagem é adaptada através de recurso de cabelo, de maquiagem, de cílios, de posição da boca, tudo.

Você vê como a boca aqui parece imensamente triste…

É.

Então é possível transformar uma pessoa caracterizando de maneira incrível. É sensacional.

Estou vendo aí.

E assim, tem que ser tudo muito bem trabalhado, para que haja equilíbrio e proporcionalidade.

Não estou falando em simetria, estou falando até em uma certa simetria, que faz parte da imagem, mas que isso possa ser muito bem estruturado.

Olha que bacana, olha que evolução, né, você pega a princesa Diana quando ela começou e depois muito mais avançada, quer dizer, existem recursos que podem favorecer muito a imagem.

Olha, outra, apareceu uma outra aí.

Volta aquela que eu achei muito engraçado.

Olha isso aí.

Está vendo, um detalhezinho de Visagismo e faz toda diferença na vida de uma pessoa.

Puxa vida, nunca pensei nisso Robson.

Ah, gostei muito dessa pauta, honestamente.

Você está de parabéns, essa coisa.

Hoje eu sai daqui com uma aula de Visagismo que de certa forma eu nem entendia direito o que era, a partir de agora vou conceituar essa história de forma muito mais seletiva do que eu tinha antes.

Muito obrigado.

Parabéns.

Eu agradeço.

Eu quero só agradecer você, Robson, por estar conosco, deixar a porta aberta para você voltar, porque o nosso tempo nessa época de eleição é curto, a gente podia conversar muito mais, mas a gente estoura o tempo todo.

Eu quero saber se você quer deixar algum recado, deixar um endereço, que seja virtual, o que você quiser, um telefone, e convidar você a voltar.

Muito obrigada Ronnie.

Então eu vou dizer assim, Visagismo tem três coisas:

Consultoria Visagista Facial Parcial, só do rosto;

Consultoria de Beleza, tudo a respeito de beleza;

Consultoria Plena, que pode fazer o rosto, a beleza e até ajudar você a comprar um carro que combine com você, para você imaginar como o universo é maravilhoso.

Nós estamos na Vila Nova Conceição, o espaço se chama Red Team, Consultoria de Imagem, Beleza e Estilo.

Vai ser um prazer atender qualquer pessoa que tenha curiosidade de conhecer a respeito de Visagismo, e a carreira acadêmica nos faz isso, faz com que a gente tenha intenção de comunicar a boa nova, e o Visagismo é a materialização da beleza que já existe e é perseguida há muitos anos.

Obrigado por ter vindo.

Eu que agradeço

Parabéns Robson, gostei muito desse história. Boa produção, essa é um gol hein.